English, Pronunciation, Tongue-twisters and Brain!

Complementando as inúmeras perguntas que temos recebido em COMO MELHORAR O SEU INGLÊS, vou passar para vocês algumas informações importantes para todas aquelas pessoas que levam a sério um idioma tão importante para fazer você avançar profissionalmente onde quer que você esteja no planeta.

 

Vamos inicialmente isolar o aspecto PRONÚNCIA, algo muito negligenciado e que pode causar problemas de comunicação. Uma boa pronúncia vem com uma boa compreensão auditiva. A sua pronúncia é reflexo da qualidade de sua compreensão, ou seja, como a informação é processada no seu cérebro e, consequentemente, o que você articula nada mais é do que resultado dessa “interpretação” sua que pode, em alguns casos, não corresponder a verdadeira pronúncia da palavra.

 Existe um ponto no nosso cérebro responsável pela aquisição linguística e estudos demonstraram que as crianças aprendem idiomas com mais facilidade por processarem quaisquer línguas ou sons no mesmo ponto do cérebro.

Por volta dos 8 ou 10 anos,

 

varia um pouco de indivíduo para indivíduo, ao se consolidar a primeira língua, passamos a processar qualquer outro idioma num outro ponto do cérebro o que, de uma certa forma, faz com que para podermos entender ou processar esses novos sons haja uma transferência da informação de um ponto do cérebro ao outro, tornando o aprendizado um pouco mais lento do que se fosse processado num mesmo ponto. Daí a razão do adulto ser mais lento do que as crianças no que concerne ao aprendizado de idiomas de uma maneira geral. É importante ressaltar que isso ocorre de uma maneira geral. Para toda regra, há sempre uma exceção ou exceções.

Neste mesmo ponto do cérebro onde se consolida a primeira língua,

 

a habilidade de ouvir é mais apurada e, portanto, explica o por que de você ensinar uma palavra nova para qualquer criança cujo o aparelho fonador já está completamente formado apenas uma vez e ela repetir com exatidão o som, sem diferença alguma. O mesmo não ocorre com o adulto porque ele não ouve da mesma forma e precisa de muito mais concentração e atenção para interpretar o som corretamente.

E qual seria então a solução para minimizar o problema?

Além de uma contínua exposição ao idioma, um bom estudo de fonética. Ou seja, uma familiarização mais precisa com os sons do idioma. Esse tipo de exercício requer um certo esforço por parte do aluno e um investimento num curso de ACCENT REDUCTION (Redução de Sotaque) onde o mesmo pode aprender um pouco mais sobre transcrições fonéticas a fim de se certificar de que está pronunciando as palavras corretamente.


Além disso, o mesmo pode ser submetido a exercícios e modelos nos quais ele aprende a identificar as diferenças dos sons e, sendo assim, ficar mais atento aos mesmos desenvolvendo uma capacidade de identificação e diferenciação dos mesmos depois de algum tempo. No curso deve ocorrer também muito trabalho de repetição monitorado, nos quais o aluno pode não só aprender a identificar o som, mas também a reproduzi-los de forma correta.

Nesta edição, procuro detalhar um plano prático para você melhorar sua pronúncia e aproximá-la da de um falante nativo. Aqui vai o Top 10 para vocês.

  1. Invista num dicionário em multimídia.
  2. Questione quase todas as palavras que você lê e pronuncia no dia-a-dia.
  3. Certifique-se de que são pronunciadas corretamente, observando a transcrição fonética com o auxílio da respectiva tabela do dicionário que você usa.
  4. Se você é líder ou precisa discursar no idioma, certifique-se de ler atentamente o seu discurso, checando a pronúncia das palavras que você usa com menos freqüência, pois nesses casos geralmente ocorrem os erros.
  5. Preferencialmente, ouça a palavra pronunciada corretamente.
  6. Grave a sua voz. Eis um recurso poderoso para você melhorar a sua pronúncia no idioma. Utilize textos previamente gravados por nativos do idioma e compare com a sua. Inicialmente, não se assuste, pois em qualquer processo de melhoramento, temos que ser confrontados com a nossa ignorância em um determinado assunto. Admitir que não sabemos é o primeiro passo para avançarmos.
  7. O nosso aparelho fonador está mais habituado com o som da língua portuguesa. Se quisermos articular bem em inglês, é preciso que façamos o mesmo no idioma através de repetição freqüente e gravação de grande parte do que lemos.
  8. Faça uso de TONGUE-TWISTERS. Aqui estão alguns exemplos de A até a letra Z:

a)     Angela Abigail Apple white ate anchovies and artichokes.

b)     Bertha Bartholomeu blew big, blue bubbles.

c)     Clever Clifford Cutter clumsily closed the closet clasps.

d)     Dwayne Dwiddle drew a drawing of dreaded Dracula.

e)     Elmer Elwood eluded eleven elderly elephants.

f)       Floyd Flingle flipped flat flapjacks.

g)     Greta Gruber grabbed a group of green grapes.

h)     Hattie Henderson hated happy healthy hippos.

i)        Ida Ivy identified the ivory iris.

j)       Julie Jackson juggled the juicy, giggly jello.

k)      Karl Kessler kept the ketchup in the kitchen.

l)        Lila Ledbetter lugged a lot of little lemons.

m)    Milton Mallard mailed a mangled mango.

n)     Norris Newton never needed new noodles.

o)     Patsy planter plucked plump, purple, plastic plums.

p)     Quinella Quist quite quickly quelled the quarreling quartet.

q)     Randy Rathbone wrapped a rather rare red rabbit.

r)       She sells seashells on the seashore and the shells she sells are seashells for sure.

s)      Uri Udall usually used his unique, unusual unicycle.

t)      Vicky Vinc viewed a very valuable vase.

u)     Walter Whipple warily warned the weary warrior.

v)     Xerxes Xenon expected to xerox extra x-rays.

w)    Yolana Yvonne Yarger yodeled up yonder yesterday.

x)      Zigmund Zane zigzagged through the zany zoo zone.

9. Leia sobre transcrição fonética que são os símbolos ou representação do som das sílabas apresentadas em todos os dicionários bilíngües.

10. Tenha disciplina para estudar alguns minutos todos os dias.

 

Depois disso, procure profissionais sérios e não caia nas armadilhas de alguns supostos “CURSINHOS DE INGLÊS” cujo o principal objetivo é tirar o seu dinheiro e muito pouco oferecem a você e a comunidade verdadeira agregação de valor. Questione a qualidade desses cursos e investigue quem está por trás, quais as qualificações dos professores, o tipo de material bem como o que exatamente os mesmos oferecem em termos de valor para você como aluno, itens fundamentais para lhe proporcionar um bom ensino.

 

Agregar valor é dividir e colocar informações disponíveis nas áreas propostas e não oferecer promessas milagrosas e utópicas como muitos fazem. Ensinar e aprender são assuntos sérios e que exigem responsabilidade de ambas as partes, de quem facilita o processo e de quem aprende.

 

 

See you soon.

 Luiz Cláudio Carvalho

About Prof. and Interpreter Luiz C. Carvalho

EM PORTUGUÊS (SEE BELOW FOR ENGLISH VERSION) Luiz Claudio Carvalho, Professor, Tradutor, Interprete e Locutor(Voice-over) profissional, tem mais de 23 anos de experiência como professor de inglês, na área de treinamento de professores, tradução e interpretação. Luiz é um incansável aprendiz da língua inglesa que procura o melhor para os seus alunos e para aqueles que querem fazer uso de seu profissionalismo nas respectivas areas. Sua experiência e especialização no idioma podem ser resumidos pela aquisição com sucesso dos certificados de proficiência mais renomados no idioma, tais como os das universidades de CAMBRIDGE, OXFORD, MICHIGAN, LYNN UNIVERSITY, FAU, Miami Dade College, entre outras. Nos últimos 10 anos, Luiz Claudio Carvalho esteve residindo nos Estados Unidos e viajando por toda a América, lecionando inglês como segunda língua e português para norte-americanos e canadenses, trabalhando como intérprete e tradutor, mas com foco sempre em desenvolver novas técnicas, aprimorar metodologia e observar na prática explorando técnicas adequadas para acelerar o processo de aprendizagem do idioma. Através dessa oportunidade e experiência, o Prof. Luiz Carvalho desenvolveu o curso INTERaction: Um curso voltado especificamente para conversação, onde as principais estruturas gramaticais são contextualizadas de uma forma agradável e dinâmica muito peculiar, com o intuito de tornar você, estudante de inglês, um falante nato da língua no menor espaço de tempo possível. E-mail: luizcarv@hotmail.com or luizcarvalhobrazil@gmail.com
This entry was posted in INGLÊS - ENGLISH. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s